Currently viewing the tag: "Reconhecimento"

Reconhecimento, recompensa, prémios e remuneração.

Não faz sentido recompensar uma ideia, sem incluir todos os que participam no processo, desde a criação à implementação do resultado.

Recompensar prende-se com reconhecimento, com vontade, com colaboração.

Como criar âncoras numa organização?

A retenção de funcionários é um desafio permanente para os profissionais de RH e, é ainda mais difícil quando o trabalho é composto de diferentes gerações, que têm opiniões muito diferentes sobre a tecnologia, valores e ética no trabalho.

Hoje, Com a incerteza no mercado, a melhor maneira, que um colaborador tem, de garantir o seu futuro, é garantir o futuro da sua organização. Mesmo as organizações que se esforçam para valorizar as diferenças e promover pontos de vista alternativos descobrem que existem muitos desafios e tem de aprender a gerir o conflito de maneira saudável. A insatisfação cria conflitos.

Premiar a criatividade e a inovação, fornecendo às pessoas as ferramentas e um ambiente inspirador e facilitador desenvolvimento, favorece a gestão de Recursos Humanos nas organizações.

As organizações líderes que conduzem a inovação através de prémios e reconhecimento, guiam-se por princípios básicos de encorajamento de comportamentos específicos.

Criam equipas de projecto.

Reconhecem sistematicamente e com consistência aqueles que contribuem com ideias, conhecimento e tempo.

Fornecem reconhecimento especial aos voluntários, agentes de mudança e inovadores modelo. Mantém os nomes associados às contribuições e contam as histórias de sucesso que se referem a inovações seja elas incrementais ou não.

Tornam a inovação auto-recompensadora, ao fazer com que os autores sejam considerados peritos pelos pares e pela gestão.

Ligam a inovação ao âmago da cultura da empresa.

Combinam as diferentes áreas dos seus recursos humanos, para desenv olverem linhas de direcção.  

Como reconhecer e recompensar?

“Quando uma organização estabelece recompensas extrínsecas para inovação deve estar atenta a:

 Atribuir mais importância ao dinheiro do que ele actualmente tem

Confundir compensação com recompensa

Sufocamento da equipa com reconhecimento individual

Ignorar os assuntos subjacentes por trás dos comportamentos

Decrescimento da recompensa com o tempo.

Para introduzir, de forma persistente, a motivação intrínseca, muitas organizações inovadoras, encorajaram, o reconhecimento dos pares, eventos postos à disposição e estabeleceram estruturas de trabalho tendentes ao cultivo de inovações relevantes.

Reconhecimento dos pares – A 3M utiliza a inclusão, como prémio, Technical Circle of Excellence, no qual os inovadores, seleccionados pelos colegas, recebem uma viagem ao retiro da companhia no Minnesota.

Eventos formais – Para inspirar inovação o World Bank utilize programas chamados, feiras do conhecimento, como oportunidades de aprendizagem. As feiras de conhecimento fornecem uma oportunidade de criar relações sociais que constroem capital social através de projectos, disciplinas, tempo e geografia.

Estrutura de trabalho – A 3M permite aos empregados despender de uma percentagem do seu trabalho em qualquer ideia que possa beneficiar a empresa.

No fundo, com estas abordagens, procura-se desenvolver uma cultura de inovação. A inovação está alinhada com a estratégia da empresa. (adaptado de Rewarding Innovation By Paige Leavitt American Productivity & quality center)

Recompensas e reconhecimento, especialmente o equilíbrio entre incentivos extrínsecos e intrínsecos, influenciam como os colaboradores abordam as suas responsabilidades.

Não tenho tempo!

Aos colaboradores de uma organizam que pretendam explorar um projecto da sua autoria dentro do seu horário numa organização, é colocado um ambiente negativo de interrogações.

Não as interrogações que geram inovação como, “E se…?”, mas aquelas que andam aliadas ao cálculo e análise, e que se resumem em:

Quanto custa?

E se não resultar?

Há experiências por todo o mundo que comprovam que, a cedência de parte do tempo de trabalho de um colaborador para a criação e desenvolvimento de projectos, dá resultados, como na Google. Uma pequena ronda pela Web e criaremos uma listagem com dimensão suficiente para compreender a importância deste tema.

O tempo disponibilizado ou a disponibilizar traz autonomia ao colaborador o que se traduz em motivação.

A responsabilização pelos resultados num ambiente em que o relógio faz parte da liberdade criativa do colaborador é vista como uma reconhecimento.

E se resultar?

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=5ZWC0kk77GI]

O colaborador deve ser devidamente e imediatamente reconhecido pelo seu trabalho.

Quanto custou?

É a hora de verificar que não foi uma despesa inútil, antes um investimento.

As organizações que procuram desenvolver (design thinking) as motivações intrínsecas tem uma vantagem acrescida em relação àquelas que preferem a “cenoura”, a aceitação por parte dos colaboradores de que fazem parte de uma grande equipa.

Essa equipa preocupa-se em aprender uns com os outros, em retirar do aborrecimento os seus colaboradores, e criar a colaboração e não a competição.

“A competição entre indivíduos, especialmente do género “o vencedor ganha!”, inibe a criatividade.

As restrições, como prazos, inibem a criatividade, embora existam algumas pessoas que têm consistentemente altas taxas de criatividade em tais condições.” Teresa Amabile – Wayne State University