Currently viewing the tag: "Making Open Innovation Work"

Preparar o futuro

Há cerca de um ano a discussão sobre o papel da PME em inovação aberta começou a intensificar-se e eu tive o prazer de ouvir e conversar com Stefan Lindegaard (@lindegaard) em Portugal num evento promovido pela COTEC-Portugal.

Agora Lindegaard escreveu um livro FREE BOOK: Making Open Innovation Work que também pode ser adquirido aqui (Amazon) se preferir a versão em papel.

É um livro que vem não só responder a muitas questões mas também nos ajuda a arrumar as ideias quando abordamos a inovação aberta num ambiente de Pequenas e Médias empresas.

As PME têm algumas desvantagens estruturais quando se trata de abrir as portas à inovação. Muitas vezes não têm muitas das capacidades necessárias para identificar, transferir e absorver ideias externas e novas tecnologias de forma eficaz.

Na minha opinião e numa dimensão estrutural as deficiências mais importantes das PME colocadas pela inovação aberta parecem ser:

– Reduzida capacidade de absorção. As PME de uma forma geral não demonstram capacidade de suportar recursos materiais e humanos dedicados para criar estruturas que identifique o conhecimento externo útil.

As tecnologias emergentes ou promissoras de outras empresas e Universidades não chegam ao conhecimento das PME.

– Deficiente e incompleta integração. Mesmo quando elas são inicialmente identificadas e transferidas, raramente essas ideias externas e tecnologias são completamente formadas e integradas.

Os recursos humanos não têm os pré-requisitos necessários para compreender, absorver e explorar os resultados do trabalho das universidades. A comunicação faz-se com uma linguagem não comum aos interlocutores que dificulta a capacidade de absorção.

– As PME são pouco atraentes como parceiros para as outras empresas. Os investigadores privilegiam as grandes empresas por estas serem mais prestigiadas ou optam por criar uma nova empresa.

Acresce a esse obstáculo o facto de as PME raramente terem os recursos disponíveis para fornecer apoio à investigação e, muitas vezes, não existe um processo de inovação institucionalizado e bem estruturado.

– As PME são deficientes na captura de valor. Este tipo de empresas normalmente não tem o poder de mercado para capturar o valor dos conhecimentos e inovação obtidos externamente.

Apesar de tudo algumas PME conseguem travar lutas do tipo Golias e David, embora os resultados financeiros não sejam espectaculares.

Estes são alguns dos aspectos estruturais que ajudar a reflectir sobre a Inovação Aberta e as PME, mas Lindegaard de uma forma muito perspicaz coloca também no seu livro, a perspectiva da importância das pessoas nesta abordagem.

Uma Breve descrição:

“Grandes e pequenas empresas — você precisa abrir!” diz Stefan Lindegaard em “Fazer a Inovação Aberta Funcionar”, mas o que é exactamente a inovação aberta, e por que isso importa?  Inovação aberta é sobre ter a mentalidade e habilidades que permitem que as empresas façam a ponte entre recursos internos e externos e usem essa combinação para trazer novos produtos e serviços ao mercado mais rapidamente. Prático, envolvente e directo, o livro explora completamente a intersecção de inovação aberta entre grandes e pequenas empresas, explica quais as formas que a inovação aberta assume, discute as vantagens e lista os desafios que se colocam para empresas de diferentes tamanhos.

Olhando para problemas organizacionais e compartilhar ideias sobre como a inovação aberta impacta na gestão, ele também oferece dicas sobre como identificar as pessoas que têm o potencial para impulsionar a inovação aberta e usando estudos de caso, ilustra como a inovação aberta funciona com as pequenas empresas.  Lindegaard explica por que as grandes empresas precisam as pequenas empresas como parte dos seus ecossistemas de inovação aberta e sugere estratégias para construção e fazendo abrir parcerias de inovação funcionam quando os parceiros são de tamanho desigual — ele também inclui uma secção sobre o que fazer se as coisas dão errado numa parceria de inovação aberta. Finalmente, os leitores são mostrados como lidar com questões de direitos de propriedade intelectual e como usar ferramentas de média social para construir capacidades de inovação aberta e atrair parcerias.”

Este livro para além de ser uma oportunidade para todos nós alargarmos os nossos horizontes em inovação é uma demonstração extremamente louvável da sabedoria partilhada.

Obrigado Stefan!

Não se esqueça: Stefan Lindegaard está no Twitter @lindegaard, é o criador de 15inno.com

Leia : The Open Innovation Revolution: Essentials, Roadblocks, and Leadership Skills e

 Making Open Innovation Work by Stefan Lindegaard