O caminho da colaboração constrói-se

Hoje diferentes gerações com vários contextos socioculturais podem apresentar-se para trabalhar juntos no mesmo local de trabalho e transportam consigo as suas experiências e expectativas, os seus receios e a sua coragem.

Cada um transporta um conjunto de valores e uma experiência individual que os outros podem não compreender. Ao conectar-se e interagir com o conjunto de que faz parte cada indivíduo perde parte da importância do seu valor individual mas ganha muito mais que essa parte em valor do colectivo.

Hoje as organizações, ambiente onde essas pessoas se concentram, deixam de ser o local privilegiado para trocar experiências, e passam a competir com as redes sociais e de conhecimento.

Hoje, todos os esforços individuais parecem irrelevantes face ao poder das redes sociais e do conhecimento colectivo que substituem as organizações como uma fonte de coerência e coesão para todas as partes interessadas.

Talvez amanhã as hierarquias comecem a perder a sua relevância a favor das profissões liberais, consultores, redes de colaboração e trabalho por projecto.

Amanhã, a liderança deixará de ter um cariz organizacional predominante e incluirá um poder social e de comunidade. A diversidade e a interdisciplinaridade das comunidades promovem na liderança mudanças comportamentais muito significativo, fruto da democratização do conhecimento e da abertura de espaços à criatividade.

Hoje o trabalho em ambientes de diversidade e a procura de soluções para problemas complexos requer a construção de equipas interdisciplinares.

Por exemplo:

Formação de equipas interdisciplinares irá conduzir a inovação e resolver problemas em todos os tipos de situações onde a nutrição é importante.  Os profissionais terão de ser assertivos e oportunistas para assegurar posições num mundo onde as competências e as credenciais são menos importantes do que a formação de equipas e resolução de problemas.”

Que clima nas empresas promove a inovação?

Equipas interdisciplinares, de engenheiro a cientista social e ao físico, são um factor importante.  Além disso, as empresas conscientemente devem fornecer escopo para acção.  E ter coragem: deve ser possível instalar determinados processos mesmo que talvez não sejam imediatamente bem sucedidos.” – Marion A. Weissenberger-Eibl

O sucesso das equipas interdisciplinares repousa nas interacções entre os membros da equipa, onde o todo é maior que a soma das partes, mas isso não significa que não existam problemas.

Enquanto o trabalho solitário pode proporcionar um caminho com menos erros, embora de âmbito de aplicação mais restrito, o trabalho interdisciplinar está mais sujeito a falhas mas que são compensadas pela natureza inovadora dos resultados para além proporcionarem a abertura a novos campos de pesquisa decorrentes da combinação de vários tipos de abordagem.

O desenvolvimento de uma equipa interdisciplinar requer o domínio de uma linguagem comum e a capacidade em cada um de compreender os valores subjacentes às afirmações dos outros.

Quer comentar?

Share

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *